domingo, 2 de outubro de 2022

Fechamento da Carteira de Setembro/22 (+ 0,09 % / -0,03 %)

 


 Bom dia Finansfera!

 

Setembro teve um gostinho especial para mim...em meados do seu meio nasceu minha primeira (e pelo planejamento única) filha! Atualmente escrevo esse post direto da licença paternidade, estando claro que a vida irá mudar completamente em todos os quesitos... A taxa de poupança inevitavelmente irá diminuir e o tempo para assuntos pessoais será reduzido ao mínimo. Por esse tempo que já estou convivendo com a filha me é claro que cuidar de um bebê exige muita paciência, resistência ao sono, dinheiro e tempo. Incrível a quantidade de vacinas, remédios e outros pontos que estão "fora" do plano de saúde. Isso sem considerar o parto que foi caríssimo e tenho expectativa de recuperar muito pouco do plano de saúde (parto normal é complicado pois o plano não cobre bons profissionais e o reembolso é muito baixo). O que importa é que o parto correu bem e a Sra VVI já está recuperada. Interessante esses partos humanizados...são totalmente diferentes dos "partos de filmes". Foi uma experiência bem intimista e calma, tendo o parto ocorrido na banheira e sem qualquer anestesia (obviamente realizada no hospital com toda a infraestrutura para caso houvesse alguma complicação). Vivendo e aprendendo...

Em relação ao resultado dos investimentos o mês foi de rentabilidade nula. Mês pré-eleição marcado por muita incerteza nos mercados ajudada pela guerra na Ucrânia que continua sem resolução e efeitos da pandemia ainda ocorrendo especialmente devido as ações da China. Deflação se mantendo devido a queda dos custos do petróleo pelo mundo e manutenção das isenções fiscais nos combustíveis e energia. Quero só ver conseguirem compensar os impostos ano que vem conforme combinado entre o governo federal e os governos estaduais... Se for efetivado o IPCA ano que vem promete... 

Os ativos internacionais despencaram esse mês (cerca de 7% médio), porém em reais tiveram leve queda devido ao elevado aumento do dólar em relação ao real. Por outro lado a renda fixa foi altamente afetada pelo IPCA negativo uma vez que a maior parte da minha renda fixa é atrelada ao IPCA. FIIs e ações BR subiram levemente, contribuindo para a estabilidade do resultado.

Esse mês houve uma característica diferente na minha carteira: a variação do patrimônio foi muito pequena. Normalmente consigo fazer aportes elevados (cerca de 40-50% do salário), porém como esse mês foi o pagamento do parto, pelo menos na contabilidade do mês esse gasto entrou anulando quase todo o aporte do mês (na prática fui juntando o dinheiro nos últimos meses não tendo um impacto tão grande nesse mês, porém acabei computando os valores guardados nos últimos meses como investimentos, exigindo agora que eu lance o valor do parto de uma vez na contabilidade do mês...).

Abaixo segue a curva de aumento do meu patrimônio, sua rentabilidade e o IPCA acumulado em 2022 (o valor do IPCA de agosto não foi incluído uma vez que ainda não foi divulgado).

 

Em relação aos gastos do mês, houve o pagamento do parto (o valor já estava guardado desde o mês passado), vários exames, vacinas e remédios para a Sra VVI e filha (até o famoso teste do pezinho saiu caro...acreditam que o mesmo agora tem vários tipos diferentes e o pediatra pediu um que não estava totalmente incluído no plano de saúde? Maravilha...). Esse ano vai ser um ano juntando notas fiscais para ajudar na restituição de IR no ano que vem...rsrs

Com todos dos gastos consegui manter uma taxa de poupança em setembro de cerca de 40 % (desconsiderando valor do parto), valor esse aquém da média que normalmente atinjo (50 %) mas que possivelmente será uma nova média para os meses a seguir... Se conseguir manter os 40 % no longo prazo acredito que será  um ótimo resultado uma vez que logo terei que arcar com custos de babá/creche/escolinha.

 Para outubro o plano é investir de forma diversificada entre ações BR, FIIs e renda fixa. Foco no aumento do patrimônio e da renda recebida mensalmente. Vamos ver os impactos na economia da eleição e acompanhamento da guerra da Ucrânia sobre os investimentos.

Abaixo segue a alocação do meu patrimônio por tipo de investimento:

Resumindo a alocação acima e eliminando os investimentos não gerenciáveis (reserva de emergência e PGBL), temos a alocação simplificada abaixo que é a que eu utilizo para o rebalanceamento com novos aportes:



 Abaixo seguem gráficos com a minha atual alocação geral em cada classe de ativos:
 
Ações BR: 

 
A carteira de ações continua bem distribuída e em crescimento. O mês de setembro teve baixa incidência de rendimentos, porém o suficiente para, junto com dinheiro novo, permitir investimentos em novas cotas de VALE3 e SAPR11. Foco em rendimentos e seguindo a alocação objetivo da minha carteira. 
 
 FIIs: